Notícias

Cida Fernandez é nossa candidata ao Conselho Nacional de Política Cultural

CCLF-ConselhoNacionalPoliticaCultural-CidaFernandez

Já está ocorrendo o processo eleitoral para renovação do Conselho Nacional de Política Cultural (CNPC) do Ministério da Cultura. O órgão tem a finalidade de propor a formulação de políticas públicas e promover a articulação e o debate entre governo e sociedade civil organizada para o desenvolvimento e fomento das atividades culturais no território nacional. Até o dia 7 de outubro, todos estados da federação irão eleger pela Internet delegadas e delegados para cada um dos fóruns setoriais. Elxs serão responsáveis pela eleição das 15 representações da sociedade civil nos 17 colegiados setoriais que formam o CNPC, o que ocorrerá em novembro, durante os Fóruns Nacionais Setoriais. As áreas contempladas pelos colegiados são: Arquitetura e Urbanismo; Arquivos; Arte Digital; Artes Visuais; Artesanato; Circo; Culturas Afro-Brasileiras; Culturas dos Povos Indígenas; Culturas populares; Dança; Design; Literatura, Livro e Leitura; Moda; Música; Patrimônio Imaterial; Patrimonio Material; e Teatro.

Quem quiser participar do processo tem que prestar atenção no calendário pois, apesar das eleições terminarem no dia 7 de outubro, só poderá participar quem realizar seu cadastro na plataforma digital até o dia 26 de setembro (próximo sábado).

O Centro de Cultura Luiz Freire tem o prazer de anunciar a candidatura de Cida Fernandez para delegada de Pernambuco pelo setor de Literatura, Livro e Leitura. Cida integra nosso projeto de promoção e defesa do Direito à Leitura e é membro do coletivo de gestão do Fórum Pernambucano em Defesa das Bibliotecas, Livro, Leitura e Literatura – FPEBLLL. Biblioteconomista, possui larga experiência na luta pela democratização do acesso ao livro e à promoção da leitura, além de atuar como consultora no Programa Prazer em Ler, do Instituto C&A de Desenvolvimento Social, e como coordenadora geral do projeto Mais Bibliotecas Públicas.rect13910

“O direito à arte e à literatura é estruturante no desenvolvimento das pessoas e de suas comunidades. Quero participar da construção de políticas públicas que garantam e efetivem esse direito”, afirma Cida Fernandez, que apresenta a transparência, a socialização da informação e valorização da democracia na condução dos processos como os compromissos de sua representação. Confira abaixo as propostas de sua plataforma de campanha:

Plataforma de Cida Fernandez para o Conselho Nacional de Política Cultural

  • Construção das Políticas Nacionais para o Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas;
  • Facilitação dos processos de escuta aos segmentos criativo, produtivo e mediador de Pernambuco para o diálogo nacional;
  • Consolidação do Fórum Pernambucano em Defesa das Bibliotecas, Livro, Leitura e Literatura como instância de representação setorial no Conselho Nacional de Políticas Culturais;
  • Fortalecimento do debate para a regulamentação do fundo Pró-Leitura, exclusivo para o setor de livro, leitura, literatura e bibliotecas, que se encontra em discussão na câmara federal;
  • Estabelecimento do diálogo entre o Conselho Nacional de Política Cultural e as feiras de livros realizadas no Brasil, com o objetivo de sensibilizá-las para a importância desses eventos como espaços de formação;
  • Estabelecimento do diálogo com as instancias de direção, execução e controle social do Plano Nacional do Livro, Leitura e Literatura (PNLL) no intuito de construir sinergias entre e as políticas públicas nacionais e estadual para o setor LLLB;
  • Estabelecimento do diálogo com os representantes do Setor LLLB nos conselhos municipais e estadual de cultura existentes para o fortalecimento da nossa incidência nas políticas nacionais;
  • Fortalecimento do diálogo entre a sociedade civil, governos locais e o Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas de modo a incidir para a efetividade dessa instancia como um órgão regulador e qualificador das bibliotecas públicas em PE.
  • Promoção de amplo debate sobre o processo de compra de livros pelos órgãos públicos federais e a ampla divulgação desse processo pelos meios de comunicação e redes sociais;
  • Elaboração de políticas de formação em escrita criativa em nível nacional e estadual;
  • Elaboração de uma política que garanta a circulação de escritores e ilustradores nas bibliotecas públicas e comunitárias, tornando esta ação parte da rotina dos espaços de leitura no estado e no país;
  • Fortalecimento dos movimentos de mediadores de leitura e contadores de histórias para garantir a atuação dos mesmos de forma qualificada em diversos espaços e instituições de fomento a leitura.

rect13910