Conheça nossas iniciativas

1. Mobilização pelo Direito à Educação e Leitura

Nos anos 80 o Centro de Cultura Luiz Freire (CCLF) iniciou diversas pesquisas e metodologias de formação de leitores. No início da década de 90 as pesquisas e metodologias foram ampliadas para a implanetação e organização de bibliotecas, espaços de leitura e formação de profissionais para a gestão desses ambientes.

Conheça nossas iniciativas

2. MOBILIZAÇÃO E INCIDÊNCIA PELO DIREITO À COMUNICAÇÃO

O Centro de Cultura Luiz Freire (CCLF) é uma das referências regionais na luta e na mobilização pelo direito à comunicação. Casa da TV Viva (primeira tevê “de rua” da América Latina, com mais de 30 anos dedicados à produção audiovisual popular), atualmente as principais atividades do CCLF estão focadas na articulação da sociedade civil e na incidência junto ao poder público para que haja mais diversidade, mais transparência e mais eficácia nas políticas públicas de comunicação.

Conheça nossas iniciativas

3. EDUCAÇÃO ESCOLAR DE MENINAS QUILOMBOLAS DE MIRANDIBA

O projeto desenvolve ações de incidência política pelo direito à educação escolar de qualidade, possibilitando identificar as barreiras de acesso enfrentadas pela população quilombola, sobretudo as adolescentes e jovens meninas, pondo em prática estratégias de superação. O lócus de atuação é Mirandiba, sertão central de Pernambuco, onde se encontram 15 quilombos em estágios diferenciados no processo de reconhecimento à titulação das terras.

Conheça nossas iniciativas

4. IMPLEMENTAÇÃO DAS DIRETRIZES MUNICIPAIS DA EDUCAÇÃO ESCOLAR QUILOMBOLA DE MIRANDIBA

Dando continuidade à defesa do direito a uma educação escolar de qualidade, contextualizada, específica, diferenciada e intercultural das comunidades quilombolas de Mirandiba, no Sertão do Pajeú de Pernambuco, o projeto Diretrizes Municipais da Educação Escolar Quilombola de Mirandiba segue para a sua segunda etapa. Agora, o Centro de Cultura Luiz Freire (CCLF) junto à Articulação Social das Comunidades Quilombolas de Mirandiba (ASCQUIMI) e com o apoio do Fundo Malala, direciona as ações para efetivar a implementação das diretrizes curriculares quilombolas do município.

Conheça nossas iniciativas

5. ESCOLAS SEGURAS E ACOLHEDORAS PARA A CONVIVÊNCIA DAS MENINAS E JOVENS MULHERES COM A COVID-19 EM PERNAMBUCO

O projeto “Escolas Seguras e Acolhedoras para a Convivência das Meninas e Jovens Mulheres com a Covid-19 em Pernambuco” é outra iniciativa que estamos desenvolvendo com instituições parceiras do Fundo Malala em Pernambuco. Além de nós, estão: Centro Dom Helder Camara de Estudos e Ação Social (CENDHEC), Centro das Mulheres do Cabo (CMC), Campanha Nacional pelo Direito à Educação (CNDE) através de seu Comitê Pernambuco e Fórum de Educação Infantil de Pernambuco (FEIPE).

 

O Centro de Cultura Luiz Freire (CCLF) é uma ONG do campo dos Direitos Humanos. Fundada em 1972 como estratégia de enfrentamento à ditadura militar-civil para a redemocratização do país, reúne expertise na defesa e promoção dos Direitos à Educação, à Comunicação e à Cultura. Atua, sobretudo, no fortalecimento de sujeitos das periferias urbanas e das Comunidades Tradicionais, especialmente os Quilombos do Estado de Pernambuco, na luta pela efetivação de direitos. Além disso, incide na defesa da leitura como um direito humano a partir da Biblioteca Solar de Ler e com produções audiovisuais por meio da primeira TV aberta da América Latina, a TV Viva.

 

Aquele cantinho de leitura, um lugar para relaxar, escolher um livro e desfrutar do prazer de ler, de correr páginas, descobrir figuras, imagens e viagens que todo o livro nos proporciona, assim é a Biblioteca Solar de Ler. Aconchegante e pronta para receber leitoras e leitores, curiosos e curiosas no mundo das letras, iniciantes no gosto da leitura. Aqui temos literatura infanto-juvenil, romances, aventuras e demais estilos, mas o mais importante aqui tem trocas de conhecimento, de saberes e de leituras do mundo.
A Biblioteca Solar de Ler é um espaço desenvolvido para compartilhamentos de ideias, inquietações e saberes. Acreditamos que é dentro de um ambiente como este que a imaginação, a informação e a expressão, dos mais diversos sentimentos, se entrelaçam. São centenas de livros compostos de histórias, cores e sensações que podem transformar pensamentos. É um espaço de leitura, mas também é de debate, luta e cultura. Venha participar!

As casas do Centro Histório de Olinda são bem conhecidas por seus quintais espaçosos e acolhedores. Nosso quintal, além de aconchegante e repleto de verde, é um espaço voltado a encontros, formações e exercício do direito à cultura. Nele também são feitas diversas celebrações que eram apenas ideias no papel e acabam se tornando realidade. Vale a pena conhecer o nosso quintal!

O espaço colaborativo (o Coworking popular) e a incubadora de projetos populares tem como proposta desenvolver metodologia de interações e promover, por meio de um lugar de trabalho colaborativo, um ambiente de trocas, criação, inovação, muito além de proporcionar apenas um espaço físico com mobiliários e redes de internet. Venha conhecer a nossa proposta!

QUEM SOMOS
 

O Centro de Cultura Luiz Freire (CCLF) é uma organização não governamental de direitos humanos, que surge em 1972, a partir de um grupo que buscava a restauração da democracia, através de atividades culturais e projetos de desenvolvimento comunitário, durante o período autoritário da Ditadura Militar brasileira. O CCLF participou do processo de redemocratização e também contribuiu para o movimento de reordenamento político-institucional do País, e no fortalecimento das organizações populares e comunitárias, realizando atividades como assessoria jurídica na organização do movimento popular pelo direito à moradia, que resultou na criação da Lei do Plano de Regularização das Zonas Especiais de Interesse Social (Prezeis).

BIBLIOTECA
 

Aquele cantinho de leitura, um lugar para relaxar, escolher um livro e desfrutar do prazer de ler, de correr páginas, descobrir figuras, imagens e viagens que todo o livro nos proporciona, assim é a Biblioteca Solar de Ler. Aconchegante e pronta para receber leitoras e leitores, curiosos e curiosas no mundo das letras, iniciantes no gosto da leitura. Aqui temos literatura infanto-juvenil, romances, aventuras e demais estilos, mas o mais importante aqui tem trocas de conhecimento, de saberes e de leituras do mundo.
A Biblioteca Solar de Ler é um espaço desenvolvido para compartilhamentos de ideias, inquietações e saberes. Acreditamos que é dentro de um ambiente como este que a imaginação, a informação e a expressão, dos mais diversos sentimentos, se entrelaçam. São centenas de livros compostos de histórias, cores e sensações que podem transformar pensamentos. É um espaço de leitura, mas também é de debate, luta e cultura. Venha participar!

 

QUINTAL
 

As casas do Centro Histório de Olinda são bem conhecidas por seus quintais espaçosos e acolhedores. Nosso quintal, além de aconchegante e repleto de verde, é um espaço voltado a encontros, formações e exercício do direito à cultura. Nele também são feitas diversas celebrações que eram apenas ideias no papel e acabam se tornando realidade. Vale a pena conhecer o nosso quintal!

 

COLABORATIVO
 

O espaço colaborativo (o Coworking popular) e a incubadora de projetos populares tem como proposta desenvolver metodologia de interações e promover, por meio de um lugar de trabalho colaborativo, um ambiente de trocas, criação, inovação, muito além de proporcionar apenas um espaço físico com mobiliários e redes de internet. Venha conhecer a nossa proposta!

“Papo de Menina” discute saúde mental com meninas negras em Olinda

“Papo de Menina” discute saúde mental com meninas negras em Olinda

Via Observatório Ensino da Língua Inglesa O projeto “Papo de Menina”, do Centro de Cultura Luiz Freire (CCLF), foi uma das iniciativas selecionadas no edital “Meninas que Vão Além” do British Council e vai trabalhar Direitos Humanos e saúde mental com meninas negras...

Justiça para Edinaldo Manoel Atikum já!

Por Comunicação APOINME Na noite desta última quarta-feira (15), militares do município de Carnaubeira da Penha - PE, agrediram o indígena Atikum, Edinaldo Manoel de Souza, de 61 anos, até a morte em frente a sua casa. Segundo relatos, Edinaldo escutou barulhos no...

Quem mandou matar Bruno Pereira e Dom Phillips?

Quem mandou matar Bruno Pereira e Dom Phillips?

Chico Mendes, Dorothy Stang, Maxciel dos Santos, Paulo Paulino Guajajara, Ari Uru-Eu-Wau-Wau, Zezico Rodrigues Guajajara, Sarapó Ka’apor. Cada um desses nomes carregam histórias de luta e resistência em defesa do meio ambiente e das populações indígenas. Cada uma...

A fome como sintoma de uma democracia adoecida. Artigo de Nathalie Beghin.

Se há fome, não há democracia. Em um país no qual o povo exerce a soberania ou, ainda, em um regime político em que todas as pessoas participam igualmente, a insegurança alimentar e nutricional não aconteceria. No Brasil do presidente Bolsonaro 36% da população não teve dinheiro para alimentar a si ou a sua família em algum momento nos últimos 12 meses, de acordo com dados recém-publicados pela FGV Social [1]. E mais: a situação piorou em relação à 2014, quando esse percentual era de 17%. Foi também em 2014 que a Organização das Nações Unidas informou que o Brasil tinha saído do Mapa da Fome mundial.

A sociedade civil retoma o protagonismo na incidência sobre a Política Cultural em Olinda-PE

A sociedade civil retoma o protagonismo na incidência sobre a Política Cultural em Olinda-PE

O Centro de Cultura Luiz Freire (CCLF) e o Centro de Educação e Desenvolvimento Integral – CEDINHO participaram da Escuta juntamente com mais de 50 representantes de diversas outras organizações que fazem cultura no município. O objetivo da convocatória foi ouvir os anseios dos diversos segmentos da cultura a respeito da utilização de R$1.750.000,00 (um milhão e setecentos e cinquenta mil reais) destinados à Cultura e debater sobre as prioridades na distribuição desse valor, não deixando as tomadas de decisão exclusivamente nas mãos da gestão pública.

 

O OmbudsPE é um projeto de comunicação do Centro de Cultura Luiz Freire. É livre a reprodução para fins não comerciais, desde que a fonte seja citada e esta nota seja incluída.

Pioneiro na concepção alternativa de TV popular, atua no mercado de vídeo educativo e institucional. Seus primeiros vídeos retratavam a realidade cotidiana dos próprios bairros onde eram exibidos.em telões. Tais telões circulavam semanalmente pela capital pernambucana. O grupo era financiado por uma organização holandesa, a Novib, e teve seus trabalhos adquiridos pela Abril Vídeos e pela BBC londrina. Participou com grande sucesso do 3º Festival Videobrasil com a obra Amigo Urso, em 1985.

CONTRIBUA!

Seja agente da mudança, faça doações para o CCLF.

MOBILIZE-SE!

Assine abaixo-assinados, engaje-se em ações e participe de cotas.

TRANSPARÊNCIA!

Não tenha dúvida, somos realmente engajados e podemos provar.

ENTRE EM CONTATO

9 + 11 =

VENHA NOS VISITAR

AGENDA CULTURAL

Confira nossos próximos eventos e anote em sua agenda para não perder nada!
No events found